Catolicismo, Escrita, Miscelânia

Mentecaptos

“Somente um mentecapto escreve se não for por dinheiro” (S. Johnson) Escrever tornou-se um ato banal nestes tempos conhecidos como a era da informação. A facilidade de acesso aos meios de publicação, com a internet, trouxe ao cidadão comum a ilusão de que é muito fácil ser escritor. Tantas tonterias são cometidas que o ato sagrado… Continuar lendo Mentecaptos

Miscelânia

Peço sua atenção por 5min…

Desde já, obrigado! Beto.Ø

Colaboração, Comércio, Miscelânia, Poesia

Começar do ‘zero’

Eu sonho pra tornar felizes Os outros que cantarão meu sonho Eu durmo e sonho O que os outros cantarão.*

Cotidiano, Miscelânia, Poesia

Bravo! Do sonho e outras quimeras, por Nélson L. Castro

"Sonho…e enquanto sonho, desenho um mundo risonho onde se não morre nem mata Um mundo de faz-de-conta, no qual o tempo não conta, tão belo que só o sonho o retrata… (Nélson L Castro). Continue lendo no link abaixo https://mukandasdonelsinho.files.wordpress.com/2015/03/dreams.jpg?w=471&h=321 Falar de mim....

Beto Queiroz, Miscelânia, Poesia

Maigret volta à rotina

Monday, monday… 7 anos atrás!

Leveza e Esperança

A SEMANA passada começou sob forte chuva. Na segunda-feira úmida, movido pela carga natural que as segundas-feiras costumam depositar sobre meus ombros, me vi de mau-humor – agravado pela umidade deste verão no cerrado goyano, sentindo-me impotente diante da evidente onipresença da chuva sob os pés, os olhos e em meus ossos e membros (gotas finas persistentes, gotas grossas, acompanhadas de um céu nada acolhedor – muita chuva); na segunda-feira pela manhã, dizia-lhes: debrucei-me à janela do escritório como o garoto antigo e assustado que se movia para o colégio há alguns (muitos) anos atrás, com o medo ancestral (de gaulês antigo) de que o céu me cairia sobre a cabeça.

Lembrei-me do comissário Maigret naquelas passagens em que Simenon o faz surgir para o leitor olhando a chuva de sua janela na Paris dos anos 50, enquanto acende seu cachimbo – este ato que dá forma e consistência ao…

Ver o post original 581 mais palavras

Anatole France, Crônica, História e Crítica, Leituras Recomendadas, Miscelânia, Otto Lara Resende

O Direito ao Tédio reeditado ou: como uma crônica pode reviver…

EM UMA CRÔNICA que bem poderia ser classificada como aguda, Otto Lara Resende dizia que todos temos "Direito ao Tédio". Seu argumento - se isso é matéria de preocupação do cronista (decisão que deixo para especialistas) - vem de tecer o curto fio da meada com Afonso Arinos, Drummond, até chegar a Paul Valéry (síntese):… Continuar lendo O Direito ao Tédio reeditado ou: como uma crônica pode reviver…

Adalberto Queiroz, Cotidiano, Miscelânia, Natureza

Posts ligeiros (1)

Quase uma legenda: minhas amadas árvores. Um dia compramos um terreno, minha mulher e eu. Lá havia sete árvores. Planejamos e projetamos tudo para que nenhuma fosse sacrificada. Do projeto ao acabamento, às árvores prestamos homenagem e respeito. Mantivemos as sete - uma delas engastada no beiral da garagem improvisada, pois garagem não havia. Um dia, nos… Continuar lendo Posts ligeiros (1)