Adalberto Queiroz, Beto Queiroz, Metalinguagem, Poemas do autor

A gênese de um livro (2017)

VIII – Farsante (I) “Assim é que eu deveria ter escrito, dizia consigo. Meus últimos livros são demasiado secos, teria sido preciso passar várias camadas de tinta, tornar a minha frase preciosa em si mesma, como este panozinho de muro” –  Marcel Proust. Tempo não há de refazê-lo a este livro duro e insone a… Continuar lendo A gênese de um livro (2017)

Beto Queiroz, Blogmania, Blogroll, Catolicismo

Leia : “Leveza & Esperança” em livro

Adquira o seu - Seleta de textos do blog do Beto. Clique na figura abaixo para ir ao site do Blook!

Adalberto Queiroz, Beto Queiroz, Crônica

A cachoeira*

Das idas a Corumbá de Goiás, posso lembrar-me com alegria. Minha memória guarda um desses passeios como um dia envolto na neblina, vaporzinho descendo sobre a alma plena de alegria, da mesma forma que este café da tarde faz subir a razão em sua fumaça, semelhante ao gênio da lâmpada. Para o menino que fui… Continuar lendo A cachoeira*

Bernanos, Beto Queiroz, Catolicismo, Crônica

Os Salmos e a insônia

Refletindo sobre os Salmos, em companhia de Sergio de Souza e seus amigos. Leia no Blog O Camponês

Beto Queiroz, Cadernos de Sizenando Poemas, Poemas do autor

Poemas de ocasião (i)

i.i    cidades (i) Eu me movo Tu me moves - It is a meme             moves. … ψ i.ii   mulheres            desejam ser vistas... helenas - Desejo-as!   por a+b: tenho visto [contido, entanto!] todas - em uma... …  

Beto Queiroz, Catolicismo, Espiritualidade, Poemas do autor, Poesia, Poesia Católica do Brasil, Poesia feita em Goyaz

Leia Cadernos de Sizenando

Leia Cadernos de Sizenando, poemas e crônicas. Alumbramento; poesia mística e dicção própria.

50 Anos de Sonetos, Augusto Frederico Schmidt, Beto Queiroz, Crônica, Notas de leitura, Poesia

2015 – Fatos relevantes (1)

Balanço de 2015 - O que é relevante é o que vivemos no pequeno núcleo familiar. São os Afetos, os que jamais se encerram; as carícias que nos permitimos; as manhãs douradas pelo Sol em que tomamos silenciosos nosso café-da-manhã, à véspera de aventuras de mais um dia de vida. Relevante é a Gratidão.