Seja bem-vindo, "Monsieur Ouine"

Bernanos foi assunto central no livro de Sebastien Lapaque (2003) e H. Sarrazin (1968) - a figura do mais brasileiro dos escritores católicos franceses ganha novas leituras Lançamento do romance de Georges Bernanos no Brasil Finalmente, o leitor brasileiro tem à sua disposição esse que é considerado a obra máxima de Georges Bernanos.A É Realizações, … Continuar lendo Seja bem-vindo, "Monsieur Ouine"

O casal Maritain nos “Cadernos de Sizenando (2)”

Anotações de leituras. Em 2006, passei boa parte do ano lendo o casal Raïssa e Jacques Maritain. As notas de leitura são ilegíveis, mas têm para mim um significado muito especial. Agora mesmo, trabalhando num novo livro de poemas, retomei temas que nasceram lá em 2006, com o casal Maritain, como a extensão deste verso … Continuar lendo O casal Maritain nos “Cadernos de Sizenando (2)”

Rascunho

Feliz com a publicação de minha primeira colaboração no jornal Rascunho. Resenha sobre o livro "O método Albertine", de Anne Carson, na edição nr. 206, junho/17 - , que, em breve, deverá estar online no site do jornal. Por ora, fica o registro aos amigos do blog. *O site e o autor são os mesmos, … Continuar lendo Rascunho

Yves Bonnefoy (2) – o Adeus ao poeta

O ADEUS ao poeta francês Yves Bonnefoy! Yves Bonnefoy (1923-2016).  A notícia do desaparecimento do poeta deu-se em meio ao ruído da Copa de futebol da Europa, no início deste mês de julho, em Paris, aos 93 anos. Por conta de todo um noticiário específico e das férias, só vim a chorar a morte do poeta … Continuar lendo Yves Bonnefoy (2) – o Adeus ao poeta

No mínimo, um poema ao dia (I)

Chansons – Canções De Clément MAROT (1497-1544). Tradução de Mário Laranjeira.* De la rose Da rosa    La belle Rose, à Venus consacrée,     A bela rosa, a Vênus consagrada, L’oeil et le sens de grand plaisir pourvoir; Ao olho e olfato tanto prazer dá; Si vous dirai, dame qui tant m’agrée. Assim direi, senhora … Continuar lendo No mínimo, um poema ao dia (I)

Cartas do cotidiano-Sobre Bernanos e os teólogos da corte…

Caderno de notas do cotidiano EU e o JORNAL DIÁRIO: uma carta publicada no jornal local de Goiânia (GO), Brasil. BERNANOS e os sacerdotes da Igreja! Donissan e Cénabre: exemplo e contra-exemplo da conduta cristã. Sobre Bernanos e a prática dos sacerdotes hoje... Carta a'O Popular (Goiânia-GO).

O Direito ao Tédio reeditado ou: como uma crônica pode reviver…

EM UMA CRÔNICA que bem poderia ser classificada como aguda, Otto Lara Resende dizia que todos temos "Direito ao Tédio". Seu argumento - se isso é matéria de preocupação do cronista (decisão que deixo para especialistas) - vem de tecer o curto fio da meada com Afonso Arinos, Drummond, até chegar a Paul Valéry (síntese): … Continuar lendo O Direito ao Tédio reeditado ou: como uma crônica pode reviver…

Posts Ligeiros (II)

ONTEM, depois de uma rápida reunião com um amigo, vivi uma tarde de garimpagem nos sebos. O melhor me veio da Feira Cultural da Rua 4. Bamburrei nas raridades do livreiro Sr. Joari, há 40 anos no ramo. Estes foram alguns dos amigos do FB que copiei na postagem inicial: Ryta Magalhães César Miranda Edival Lourenço Euler Fagundes … Continuar lendo Posts Ligeiros (II)

Jorge de Lima e sua “Ode ao Coxo Veloz” ou: Bernanos, uma vigília inumerável…

"NO MOMENTO EM QUE IA ESCREVER SOBRE TI, BERNANOS, FUI IMPELIDO POR SECRETA FORÇA ÍNTIMA A ESCREVER-TE..." Assim o poeta Jorge de Lima inicia sua ODE AO COXO VELOZ*. Agora que o mundo relembra o Centenário da I Guerra Mundial, jornais lembram o Diário de Bernanos, com o seu estilo inconfundível e sua cólera e … Continuar lendo Jorge de Lima e sua “Ode ao Coxo Veloz” ou: Bernanos, uma vigília inumerável…

O ruído do século

Faz bastante tempo que o sr. H. Taine, de L´Academie Française escreveu palavras sábias sobre livros, viagens e pessoas. Relendo um volume da 3a. edição de 1903, da editora Hachette (“Derniers Essais/De C|ritique et D´Histoire), encontro esta pérola sobre os franceses (mas podemos dizer o mesmo de nós, brasileiros, sem o charme dos que vivem … Continuar lendo O ruído do século