“Destarte” estreia em Opção Cultural

Olhar de Bernanos

Um dos propósitos de 2017 - produtividade em torno dos escritos sobre Arte, literatura e idéias (assim mesmo, pré-Acordo ortográfico), realizado com a generosidade do editor geral do Jornal Opção, o amigo Euler de França Belém — de Goiânia (GO). Leiam e divulguem em seus círculos de amigos. Clique na figura abaixo para continuar lendo a … Continuar lendo “Destarte” estreia em Opção Cultural

Post ligeiros (3) – Georges Bernanos

Georges Bernanos no opúsculo "JOANA, Relapsa e Santa" mostra como o processo da Igreja contra Joana D'Arc "pura e simplesmente foi o da condenação de uma santa".

Ainda "Sob o Sol do Exílio" (II) : lições e correlações

NÃO SERVISSE O LIVRO DE SÉBASTIEN LAPAQUE para nada, já seria de enorme utilidade - como uma espécie de tapa-na-cara! - utilidade ESTa DE alertar nossa intelectualidade sobre a importância dos escritores católicos franceses na inteligência do Brasil das décadas de 30 a 60 do século XX (esquecidos, como tantos outros, pela mídia). CREIO ser … Continuar lendo Ainda "Sob o Sol do Exílio" (II) : lições e correlações

Ainda “Sob o Sol do Exílio” (II) : lições e correlações

NÃO SERVISSE O LIVRO DE SÉBASTIEN LAPAQUE para nada, já seria de enorme utilidade - como uma espécie de tapa-na-cara! - utilidade ESTa DE alertar nossa intelectualidade sobre a importância dos escritores católicos franceses na inteligência do Brasil das décadas de 30 a 60 do século XX (esquecidos, como tantos outros, pela mídia). CREIO ser … Continuar lendo Ainda “Sob o Sol do Exílio” (II) : lições e correlações

Jorge de Lima e sua “Ode ao Coxo Veloz” ou: Bernanos, uma vigília inumerável…

"NO MOMENTO EM QUE IA ESCREVER SOBRE TI, BERNANOS, FUI IMPELIDO POR SECRETA FORÇA ÍNTIMA A ESCREVER-TE..." Assim o poeta Jorge de Lima inicia sua ODE AO COXO VELOZ*. Agora que o mundo relembra o Centenário da I Guerra Mundial, jornais lembram o Diário de Bernanos, com o seu estilo inconfundível e sua cólera e … Continuar lendo Jorge de Lima e sua “Ode ao Coxo Veloz” ou: Bernanos, uma vigília inumerável…

Ainda e sempre, Bernanos

"- Para mim, a obra de um artista não é nunca a soma de suas decepções, sofrimentos e dúvidas, do mal e do bem de toda sua vida, mas de sua vida ela própria, transfigurada, iluminada, reconciliada. Sei bem que não se prova nunca do vinho novo desta reconciliação consigo próprio, senão quando a colheita … Continuar lendo Ainda e sempre, Bernanos

Juan ASENSIO repercute artigo deste blog

Leiam ou releiam no link.Merci, cher ASENSIO.Amitiés,Beto.

Raïssa e Jacques Maritain

Green light?

Eu me interessei por Julien Green através de um poema de Bruno Tolentino. Só agora posso dar minha gratuita concordância poética com os versos citados, confessando certo mal-estar que a leitura me causou até agora: "...mas foi Julien Green quem me tirou do sério e pôs o spleen do inefável em mim: tive um ataque … Continuar lendo Green light?