Yves Bonnefoy (2) – o Adeus ao poeta

YvesBonnefoyMenor

O ADEUS ao poeta francês Yves Bonnefoy! Yves Bonnefoy (1923-2016).  A notícia do desaparecimento do poeta deu-se em meio ao ruído da Copa de futebol da Europa, no início deste mês de julho, em Paris, aos 93 anos. Por conta de todo um noticiário específico e das férias, só vim a chorar a morte do poeta … Continue lendo Yves Bonnefoy (2) – o Adeus ao poeta

No mínimo, um poema ao dia (2)

CapaLouiseLabé

Projeto para gerar riqueza espiritual: Ler, no minimo, um poema por dia; ver um quadro; ouvir música de qualidade.

O poeta e “La belle dame” (1)

Alain CHARTIER , poeta e diplomata francês do séc. XV, foi também um orador célebre - considerado "o Sêneca Francês". Dele sabemos ter nascido em Bayeux, cerca de 1380. Viveu, pois, no séc. XV - portanto, no chamado outono da Idade Média e madrugada do Renascimento. Teria o poeta sido beijado (enquanto dormia). Margaret da … Continue lendo O poeta e “La belle dame” (1)

Lua sobre o meu jardim (2)

(c)foto Beto Queiroz

ules Laforgue escreveu, em 27 anos de existência, cerca de duas centenas de poemas – além de prosa criativa e prosa crítica”, revela-nos Régis Bonvicino, tradutor e organizador de “Litanias da Lua”, que traz 21 poemas e 4 pequenos ensaios de Jules, além do ensaio citado acima. Apesar de tão pouco tempo de vida e atividade poética, Laforgue influenciou gente do calibre de T.S. Eliot, Ezra Pound e Marcel Duchamp. Sua mágica poética laçou Manuel Bandeira e Carlos Drummond de Andrade etc.

Yves Bonnefoy (I)

DOUVE PARLE Quelle parole a surgi près de moi, Quel cri se fait sur une bouche absente? A peine si j´entends crier contre moi, A peine si je sens ce souffle qui me nomme. Pourtant ce cri sur moi vient de moi, Je suis muré dans mon extravagance. Quelle divine ou quelle étrange voix Eût … Continue lendo Yves Bonnefoy (I)