Seja bem-vindo, "Monsieur Ouine"

Bernanos foi assunto central no livro de Sebastien Lapaque (2003) e H. Sarrazin (1968) - a figura do mais brasileiro dos escritores católicos franceses ganha novas leituras Lançamento do romance de Georges Bernanos no Brasil Finalmente, o leitor brasileiro tem à sua disposição esse que é considerado a obra máxima de Georges Bernanos.A É Realizações, … Continuar lendo Seja bem-vindo, "Monsieur Ouine"

No mínimo, um poema ao dia (I)

Chansons – Canções De Clément MAROT (1497-1544). Tradução de Mário Laranjeira.* De la rose Da rosa    La belle Rose, à Venus consacrée,     A bela rosa, a Vênus consagrada, L’oeil et le sens de grand plaisir pourvoir; Ao olho e olfato tanto prazer dá; Si vous dirai, dame qui tant m’agrée. Assim direi, senhora … Continuar lendo No mínimo, um poema ao dia (I)

O poeta e “La belle dame” (1)

Alain CHARTIER , poeta e diplomata francês do séc. XV, foi também um orador célebre - considerado "o Sêneca Francês". Dele sabemos ter nascido em Bayeux, cerca de 1380. Viveu, pois, no séc. XV - portanto, no chamado outono da Idade Média e madrugada do Renascimento. Teria o poeta sido beijado (enquanto dormia). Margaret da … Continuar lendo O poeta e “La belle dame” (1)

O ruído do século

Faz bastante tempo que o sr. H. Taine, de L´Academie Française escreveu palavras sábias sobre livros, viagens e pessoas. Relendo um volume da 3a. edição de 1903, da editora Hachette (“Derniers Essais/De C|ritique et D´Histoire), encontro esta pérola sobre os franceses (mas podemos dizer o mesmo de nós, brasileiros, sem o charme dos que vivem … Continuar lendo O ruído do século

O ruído do século

Faz bastante tempo que o sr. H. Taine, de L´Academie Française escreveu palavras sábias sobre livros, viagens e pessoas. Relendo um volume da 3a. edição de 1903, da editora Hachette (“Derniers Essais/De C|ritique et D´Histoire), encontro esta pérola sobre os franceses (mas podemos dizer o mesmo de nós, brasileiros, sem o charme dos que vivem … Continuar lendo O ruído do século

Edmond Jabès (3.1)

Mais uma citação do “Livro das Perguntas”, do qual ainda não encontrei tradução em português e nem ouso fazê-la. Que os amigos francófonos aproveitem e, espero, gostem tanto quanto eu gostei: "Yukel, tu as toujours été mal dans ta peau, tu n’as jamais été là, mais ailleurs; avant toi ou après toi, comme l’hiver au … Continuar lendo Edmond Jabès (3.1)

Edmond Jabès (3.1)

Mais uma citação do “Livro das Perguntas”, do qual ainda não encontrei tradução em português e nem ouso fazê-la. Que os amigos francófonos aproveitem e, espero, gostem tanto quanto eu gostei: "Yukel, tu as toujours été mal dans ta peau, tu n’as jamais été là, mais ailleurs; avant toi ou après toi, comme l’hiver au … Continuar lendo Edmond Jabès (3.1)