Lucchesi com “Os olhos do deserto” desvela segredos milenares

Em "DESTARTE" no Opção Cultural, em minha crônica literária, mantenho o foco no livro de Marco Lucchesi, "Os olhos do deserto" (2000), um diálogo intercultural e ecumênico com as culturas do Oriente, sobretudo o mundo árabe e judaico. Clique na figura abaixo para ler o artigo.

Lucchesi, Drummond e adeus! ano velho…

A tendência do cronista, já disse, é fazer o que todos fazem, mas as listas abundam em redor, melhor fazer um levantamento poético-afetivo do ano que finda. E para isso, as musas me concederam lembrar de dois poetas - Lucchesi, tradutor e escritor e do poeta Carlos Drummond de Andrade, que em sua receita de … Continuar lendo Lucchesi, Drummond e adeus! ano velho…

Giacomo Leopardi (1), a poesia consoladora…

Feliz por completar doze semanas da coluna DESTARTE em Opção Cultural (Goiânia). Fique à vontade para enviar suas sugestões de pauta para meu email: betoq55@gmail.com Abraços do Beto. (*)Clique na figura abaixo para ler a minha crônica literária.

Destarte, #3 – O futuro da Poesia

LEIA minha coluna desta sexta-feira, excepcionalmente não publicada na quinta-feira —, em virtude do evento de lançamento do meu "Frágil armação"(2a. edição), editado por Livraria e Editora Caminhos. Clique no link para ler na íntegra.

Queres ler o quê? (VIII)

DOSTOIÉVSKI (1) "Existem poucos escritores cuja obra tenha sido tão tenazmente mal compreendida como a de Dostoiévski. Dostoiévski é, se não o maior, decerto o mais poderoso escritor do século XIX; ou do século XX, pois a sua obra constitui o marco entre dois séculos da literatura. Literariamente, tudo o que é pré-dostoievskiano é  pré-histórico; … Continuar lendo Queres ler o quê? (VIII)

Quero ler… o quê? (III)

O gigante Thomas Wolfe. Literalmente gigante. O homem, sabe-se, tinha quase dois metros de altura. Não pode ser confundido com o jornalista "Tom Wolf", de grafia similar, porque Thomas W. é escritor que tem várias polegadas acima na qualidade do texto e tem uma imaginação criadora única, que se nos mostra nos livros deixados. Mesmo tendo morrido jovem … Continuar lendo Quero ler… o quê? (III)

O Direito ao Tédio reeditado ou: como uma crônica pode reviver…

EM UMA CRÔNICA que bem poderia ser classificada como aguda, Otto Lara Resende dizia que todos temos "Direito ao Tédio". Seu argumento - se isso é matéria de preocupação do cronista (decisão que deixo para especialistas) - vem de tecer o curto fio da meada com Afonso Arinos, Drummond, até chegar a Paul Valéry (síntese): … Continuar lendo O Direito ao Tédio reeditado ou: como uma crônica pode reviver…

A conversão de Murilo Mendes ou: “Retrato Da Amizade” (1)

MURILO MENDES o Poeta Brasileiro de Roma - livro de Maria Betânia Amoroso é livro de erudição e muito informativo. Os fãs do poeta mineiro (e cosmopolita) temos em Betânia uma fonte riquíssima de informações sobre a vida, a viagem, as amizades, os amores e a invenção muriliana. Apesar de manter um certo jargão acadêmico, "vício … Continuar lendo A conversão de Murilo Mendes ou: “Retrato Da Amizade” (1)