Os que estudam muito (1)

Imagem

Geoffrey Hill.png.jpg

2018 cochila dentro de nós!

Imagem

Ano 2018_Beto arte com shutterstock

Post ligeiros (XI)

Imagem

Dostoiévski sobre Cristianismo e Socialismo

Literatura Goyaz Antologia 2015*

Imagem

E a Poesia foi a anfitriã dos que A amam…

AssinaturasConvite

Foi a estréia de um evento literário no espaço acolhedor da Galeria de Arte do Teatro Basileu Toledo França. A professora Fernanda Porto nos acolheu com carinho especial e o Coordenador da casa, professor Peterson Pessoa fez tudo com dedicação e a humildade do servo que concorre com amor para o êxito – o que incluiu carregar cadeiras e mesa…

Os co-autores e membros do grupo Literatura Goyaz fizeram do evento a antítese do virtual que, conforme Pessoa, é mais do que o “real” é o Atual – o que se vive. E vivemos o momento com intensidade de sarau.

Nós, Peterson e eu, que chegáramos cedo para preparar o ambiente à espera dos convidados, pudemos sentir o clima da sala – a Galeria de Arte, cuidadosamente mantida pela professora Fernanda Porto (a quem naturalmente, deveriam dar um ar-condicionado tão breve quanto possível); pois, nós, pudemos planejar o espaço, respeitando ao máximo as obras de artes dos pequenos que lá estão expondo.

Dois deles, mais curiosos queriam saber que movimento se passava em meio às suas obras: o João e o Artur, posaram próximos às obras que devem ser as primeiras de uma longa carreira, esperamos, com a formação que lá estão recebendo da instituição respeitabílissima que é o Basileu Toledo França (Itego).

O César Miranda, que veio de Brasília, foi o primeiro a chegar, sacramentando a regra de quem mais longe mora, mais cedo chega à festa!
E encantou-se com outra obra de arte dos pequenos.

Com a presença de espírito que caracteriza o poeta-humorista e autor de centenas de palíndromos inesquecíveis, Cesar cunhou logo uma frase lapidar: “Cher Mondrian. Chair Mondrian!” – legenda perfeita para a obra dos pequenos João & Artur.
Cesar+Mondrian+LançamentoItego

Logo, minha ansiedade cedia, com a chegada de outros convidados. A Marisa (a)Penas, sempre pontual, às 19h00, e outros mais que se anunciavam como convidados de co-autores – todos bem-vindos; sabendo-se, desde sempre, que em Goiânia convida-se para as 19h para começar o evento às 19h30.

Também pontual o editor Mário Zeidler Filho, da editora e Livraria Caminhos, montou logo seu espaço, onde expôs a nossa Antologia e outros belos lançamentos do catálogo da editora.

Depois de carregar cadeiras e prender quadros, o doutorando Pessoa pôde respirar e nos inspirar com seus conhecimentos de artes cênicas e filosofia. As bandeirolas já estavam nos devidos lugares, as bebidas garantiriam mais frescor aos convidados – na ausência do ar condicionado. Relaxei, pensando que tínhamos feito o melhor e ficamos à espera de todos.
E não é que eles (e elas! ‘todos & todas‘) vieram?! Encheram com sua alegria e entusiasmo a galeria de arte do Basileu; encheram de poesia e sonhos nossa noitada.

Fiquei agradecido e feliz. Devo um obrigado especial a Clara Dawn, Eude Elidifá (Puc/GO), Thálita e Ted Amorim; super especial aos mecenas Marley Rocha, Rildo Rosa e família, Eduardo Zuppani e a todos os demais mecenas, que garantiram com suas contribuições, do projeto de “crowdfunding” (a vaquinha moderna) esse lançamento.
Parceiros da primeira hora e persistentes: o revisor Luiz de Aquino, mais do que confrade, compadre moral; o j0vem editor Mário Zeidler, que se dedicou intensamente como coordenador editorial, possibilitando rapidamente esta 1a.Reimpressão (corrigida).

O êxito do evento para o antologista foi sentido nos olhares, no ânimo que a todos (menos dois ou três cuja timidez ombreia com o talento); uns que nem mesmo ousaram se deixar fotografar. Beleza ver os experientes escritores, como Lêda Selma (AGL/GO), Luiz de Aquino, Edival Lourenço (Ube/GO), Marcos Caiado; nossas Marias – Abadia Silva e Helena Chein, nossas Sônias – Maria dos Santos e Elizabeth; página a página com jovens que vêm chegando e tentando mostrar o talento literário, como Simião Mendes, Thiago Lucarini e Lea Paz. Ver o poeta Itaney Campos, Hélverton Baiano e Chico Perna (Francisco Perna Filho) ocuparem os espaços do sarau com a mais franca e apaixonada poesia falada…

Uma noite para provar que o virtual e o atual são antitéticos – como nos alertou o filósofo Peterson Pessoa. Uma noite em que a magia da Poesia nos uniu em comunhão diante do altar da Amizade. (AQ). Adendo: parte de um poema falado em homenagem à nossa decana Magaly Magalhães, que não tendo participado fisicamente do evento, mostrou-se presente como símbolo-mor do lema “escrever é ato solitário, mas publicar deve (e pode) ser solidário”. Concluo, repetindo Murilo Mendes em “Somos todos Poetas” : “sinto em mim um desdobrar de planos” e compreendo como “Eternidade do Homem” que não somos senão “elos da corrente universal começada em Adão [e Eva] e a terminar no último homem” 

FAÇA SEU PEDIDO online, em site seguro da Livraria Editora Caminhos: Literatura Goyaz: Antologia 2015.

Uma enquete especial

Imagem

(c)Freeimages, oglobo.com

Livro tradicional (c)Freeimages, via OGlobo.com                                           *******Clique na imagem para ver o texto de apoio à enquete.

Posts ligeiros (1)

Imagem

Quase uma legenda: minhas amadas árvores.
Um dia compramos um terreno, minha mulher e eu. Lá havia sete árvores.
Planejamos e projetamos tudo para que nenhuma fosse sacrificada.
Do projeto ao acabamento, às árvores prestamos homenagem e respeito.
Mantivemos as sete – uma delas engastada no beiral da garagem improvisada, pois garagem não havia.
Um dia, nos mudamos.

Tamburil, orelha-de-macaco...

Tamburil, orelha-de-macaco…

O cidadão que a nossa casa comprara, mandou meter a serra-elétrica nas copas frondosas e a tudo destruiu.
Mudança feita, abraçamo-nos às árvores do novo território. Onde há esse tamburil centenário, abraço-me à terra que nos é dada. Felizes, minha mulher e eu; genros e filhas e netos. Um caloroso abraço que não cessa de me dar alegria.

Colaboração: Economia em Mutação exige Líderes Colaborativos

Imagem

Colaboração: Economia em Mutação exige Líderes Colaborativos

CRIEI um novo blog, dedicado aos meus temas profissionais prediletos.
Colaboração, comunicação e produtividade serão os motes para analisar as formas como as pessoas colaboram no Trabalho e fora dele (nas organizações sem fins lucrativos, associações e 3o. setor). Meu “mentor virtual” é o professor Morten T. Hansen, da University of California, Berkeley (School of Information) and at INSEAD, France. Com ele aprofundei meu interesse sobre como o líder pode se construir e se moldar através da colaboração.
Para saber mais sobre o meu Novo blog, clique na figura acima ou no link de “Colaboração no Trabalho“.

Ainda os conselhos

Imagem

Ainda os conselhos

Mo Yan e eu

Imagem

Mo Yan e eu

O narigudo e o “Boca Grande”. Aqui estamos, nascidos no mesmo ano bom da Graça de N.S. Jesus Cristo de 1955. Uma amizade que deveríamos ter começado há muitos anos antes.
Leitura rápida. Lembranças que vão se confundindo com leituras antigas, sentimentos arcaicos. De um ponto pra frente (ou pra trás), já não sou o leitor conduzido, sou mesmo quem se confunde com a sua (dele) lembrança (de autor). Como pela mão da ficção, nem leitor nem autor pudessem se distinguir de suas lembranças. Recomendo, com entusiasmo, a leitura.

Eu e “A Alma da Festa”, de Alexandre Soares Silva

Imagem

Recomendo com entusiasmo o novo livro de Alexandre Soares Silva. “A Alma da Festa” pode ser lido sem que você tenha se questionado com “A Coisa Não-Deus” ou se encantado com as quaresmeiras roxas de “Morte e Vida Celestina”. Nem precisa lembrar de vidas passadas. A Alma te leva a um mundo de bom-gosto infinito. Infinito, mesmo…Ah, coloquei essa foto aí pra ilustrar porque na pág. 222 me deu muita vontade de (re)ler Henry James. E tirei da estante esse pocket book comprado num saldão da Biblioteca Pública de Navarre (FL) por U$1.00.