O poema do rato*


The Rat is the concisest Tenant O rato é o inquilino mais conciso
He pays no Rent Não paga aluguel –
Repudiates the Obligation – Repudia o compromisso;
On schemes intent Atento ao ardil.
Baling our Wit Frustra nossa astúcia
To sound or circumvent De alarme ou laço rente –
Hate cannot harm Nem ódio traz prejuízo
A Foe so reticent – A inimigo tão reticente.
Neither Decree prohibit him – Nenhum Decreto
Lawful as Equilibrium. Inibe-o –
Legal como o Equilíbrio.

(*) Fonte: “Emily Dickinson uma Centena de Poemas”. Tradução, introdução e notas de Aíla de Oliveira Gomes. T.A.Queiroz/USP. S.Paulo, 1984, pág. 138/39.

3 respostas em “O poema do rato*

  1. Uma curiosidade: este é o poema de Emily Dickinson mais `visto´ neste blog, segundo o levantamento de estatísticas do meu blog, by WordPress.
    Não sei a razão, mas tenho uma hipótese. Em meio a tantas ratazanas na política brasileira (quase escrevo o verbete com P maiúsculo – o que é outra coisa…), talvez a curiosidade foi a de saber se se tratava de alguma ode ao corrupto.
    Amitiés,
    BetoQ.

    Curtir

Deixe uma resposta para Adalberto Queiroz Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.