Rabiscos reencontrados (2)

I/LV

Desterro a que está condenado
O que ama sem ter a Amada
Este, o da casa sem telhado
Da choupana sem calha.

Desterro o deste condenado
Sem chuva, no terreno arado.
Desterro o deste pobre-diabo
Sem anjo da guarda que valha.

Desterro o deste vate
Sem estro que o embale
Desterro ao mais fundo vale
Uivando: um cão, destarte.

Diante do que quisera grande
Kundry o quisera filho.
Desterrado, o pobre.
Jocasta o quisera pai

As musas o desejaram
A primavera o pintara
Et pourtant, o desterrado
Homem marcado pra sofrer:

Amante sem amada.

(*)Fonte: um dos meus rabiscos, daquele “livro” na gaveta. Antes.

7 comentários em “Rabiscos reencontrados (2)

  1. Pingback: Rabiscos reencontrados (1) « Adalberto de Queiroz

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.