Vem, primavera!

Acordo com a ‘rádio cabeça’ tocando “O Menino Deus…” na voz de Caetano.Jacarandá Mimoso 1
Abro a janela lateral da biblioteca e me deparo com a primavera me batendo na aorta com um pequeno exemplo de carícia e afeto para comigo.
Não é o mesmo o que se passa na vida pessoal, mas, como dizia o Peninha, “não tem revolta, não…

Vem-me à mente a velha Ode do Poeta Chileno 

Primavera, muchacha,
te esperaba!
Toma esta escoba y barre
el mundo!

Não há como não se emocionar, apesar de tudo e dos Outros.
Por absoluta preguiça primaveril antecipada, deixo-vos com um velho texto,
Jacarandá Mimoso 2publicado aqui mesmo há séculos atrás.
A Lição das Caraíbas”.
Bom finde a meus seis leitores amados!

Rabiscos reencontrados (2)

I/LV

Desterro a que está condenado
O que ama sem ter a Amada
Este, o da casa sem telhado
Da choupana sem calha.

Desterro o deste condenado
Sem chuva, no terreno arado.
Desterro o deste pobre-diabo
Sem anjo da guarda que valha.

Desterro o deste vate
Sem estro que o embale
Desterro ao mais fundo vale
Uivando: um cão, destarte.

Diante do que quisera grande
Kundry o quisera filho.
Desterrado, o pobre.
Jocasta o quisera pai

As musas o desejaram
A primavera o pintara
Et pourtant, o desterrado
Homem marcado pra sofrer:

Amante sem amada.

(*)Fonte: um dos meus rabiscos, daquele “livro” na gaveta. Antes.