Imitação e emulação movem as letras

José Guilherme Merquior disse alhures que uma pessoa é capaz de uma ou duas ideias originais, quando as tem; o resto é recriar, citar, cotejar, comparar, copiar, reinventar – ou o que quer que seja aplicável ao escritor não complacente com o mero pastiche ou o simples roubo de ideia alheia.Leia o artigo completo. José … Continuar lendo Imitação e emulação movem as letras

Nota sobre a eleição na AGL

Leia a nota saída no Jornal Opção de Goiânia sobre minha eleição para a Academia Goiana de Letras. https://www.jornalopcao.com.br/colunas-e-blogs/imprensa/o-poeta-adalberto-queiroz-e-eleito-para-a-academia-goiana-de-letras-167753/

Posts rápidos to i9

Facebook tem a facilidade de publicar, mas só o WordPress tem a vizinhança de alto nível que nenhum outro blog ou sistema de publicação tem...a não ser os pagos (bem pagos!) NYTimes e LeFigaro, for instance. https://www.facebook.com/plugins/post.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fadalberto.queiroz%2Fposts%2F10158035892127538&width=500

Conectados pelo calendário

2018 está chegando a seu ocaso... É hora de sondar o mistério intrincadíssimo do Tempo... "O mistério do tempo não equivale a um interdito que pesa sobre a linguagem; ele suscita sobretudo a exigência de pensar mais e de dizer de outro modo”  - dizia Paul Ricoeur. Aos diletos amigos da coluna “Destarte” e aos … Continuar lendo Conectados pelo calendário

Pelo Natal com poemas de Miguel Torga

É Natal!

vicio da poesia

Ao longo das páginas dos XVI volumes do Diário (1941-1993) tem Miguel Torga (1907-1995) espalhado um Cancioneiro de Natal. Não livro temático deliberado, mas poemas/apontamentos reflexivos e sentimentais sobre a data e o seu significado pessoal. Se em muitos poemas é a memória e o sentir próprio que se reflectem, noutros é a leitura social do significado da crença, o que encontramos.

Destes vinte e tal poemas explicitamente assinalados, e espalhados ao longo dos últimos cinquenta anos da vida do poeta (do Natal de 1940 ao Natal de 1991), transcrevo a seguir cinco. Se o consolo da fé não surge evocado, a esperança que a mitologia da data encerra nas suas múltiplas possibilidades, está sempre presente, à mistura com a amargura de que o mundo não seja o lugar de paz e harmonia que a cada nascimento se promete.

Loa

É nesta mesma lareira,
E aquecido ao mesmo lume,
Que…

Ver o post original 384 mais palavras

O padre Charles Moeller e “o silêncio de Deus”

Um vasto painel da literatura mundial no século XX é o desafio proposto ao leitor por Charles Moeller (1912-1986), sacerdote, teólogo, crítico literário e professor emérito de Teologia da Universidade de Lovaina, na Bélgica. Neste primeiro volume que ora tenho sobre a mesa, “O silêncio de Deus”, Moeller propõe uma releitura cristã de grandes autores … Continuar lendo O padre Charles Moeller e “o silêncio de Deus”

Fundamentos da liberdade (3) – Russell Kirk

Russell Kirk e João Camilo de Oliveira Torres - conservadores nos EUA e no Brasil - podem dialogar? Sim. É o que este texto pretende defender.