O contágio da mentira, livro

Destacado

O livro de Martim Vasques da Cunha (MVC) intitulado "O contágio da mentira" é uma vacina contra a mentira que vem embutida na peste chamada Covid

Um pequenino, mas potente livro de MVC.
Creio que só há mesmo em formato eBook, pela Amazon, mas a leitura vale (muito) a pena.
Deixo alguns trechos e recomendo com entusiasmo aos meus leitores deste blog.

Cora Coralina ganha nova estátua em Goiás

Destacado

O escultor Cleider José de Souza se diz honrado em ter sido escolhido para fazer a nova estátua de Cora a ser inaugurada na Cidade Velha de Goiás. Não é pra menos que se sinta honrado, como todos nós o sentimos. A poetisa que não foi feita em laboratório, colheu sua poesia da existência e seus temas são comezinhos. Os ingredientes que alimentam seus devaneios poéticos foram colhidos no dia-a-dia da doceira, da velha da Ponte, da menina Aninha: espiga de milho, bonecas e colegas da infância, o sabão e a barrela das lavadeiras do Rio Vermelho, doces e frutas da terra… Tal como no poema “A Escola da Mestra Silvina” (fine), Cora é hoje personagem de seus próprios versos:
“E a Mestra?
Está no Céu.
Tem nas mãos um grande livro de ouro e ensina
a soletrar aos anjos.*”
+++++
(*)”Poemas dos becos de Goiás e Estórias mais”, Goiânia: Editora da UFG, 1977, pág. 43. Leia a matéria completa neste link: Cora Coralina ganha nova estátua na cidade de Goiás – O Popular.

FOTO_3COL-B_WEB
Cora Coralina ganha nova estátua na cidade de Goiás – O Popular
(c) Foto de Fábio Lima

https://www.opopular.com.br/…/cora-coralina-ganha-nova…

No ar, o podcast Destarte

Destacado

Ouça “Destarte: Literatura & Arte” no Spreaker.

Um sonho – realizar este podcast. Desde o início da pandemia que venho pensando em criar um podcast. Agora, as condições técnicas se viabilizaram e aí está o episódio piloto. Espero que gostem e mandem suas críticas e sugestões. Pretendo mantê-lo no ar quinzenalmente. Obrigado pela audiência.

Lançamento do meu novo livro

Destacado

Benévolo Leitor(a): em breve, divulgarei a data e a forma do lançamento (se presencial ou virtual) etc. Desde já, agradeço sua participação.

Atônitos

Destacado

Ficamos assim quando as coisa saem do controle. Exemplo: filhos pequenos fazendo birra, esposas gritando em público (ou vice-versa), o time da gente perdendo no momento decisivo do campeonato ou, simplesmente, quando o seu candidato perde a eleição. Há quem se emocione com isso ainda hoje (o normal é que você use o bom-senso para não pensar em política para disparar o espanto), mas ocorre, ainda hoje – inclusive em eleições de outras cidades, outros estados e países…
Vamos pensar sobre o tema.
Ficar em estado de assombro ou de grande admiração; espantado, pasmo é coisa para profissionais do espanto. Há vários momentos na literatura em que notamos isso. Não vou dar a você, benévolo leitor, o prazer da constatação. Veja você mesmo em Flannery O´Connor ou em Georges Bernanos – há tudo ali e também em outros… descubra por si mesmo.
Assombro há também em poesia, por exemplo, em Ferreira Gullar e Ivan Junqueira.
Exemplo vocal e visual.
https://www.youtube.com/watch?v=gZa2AkDVc2k&feature=emb_logo

Uma arte profética (ou: como ler Dostoiévski-1)

Como os leitores de Dostoiévski neste século XXI podem ler sua obra tentando bem compreendê-la? Primeiro, lendo Dostoiévski lentamente, sem a preocupação de estar diante (quase sempre) de romances longos. Segundo, sugiro recorrer aos recursos de interpretação de um crítico atual – o francês René Girard, de quem um bom começo poderia ser “Dostoiévski: do duplo à unidade” 
Um apocalipse pessoal explicado por Girard. Eis a vida do escritor russo Fiodor Dostoiévski.

DIÁRIO DO WORDPRESS

Sempre um bom texto.

Salomão Rovedo: Um conto, uma história

Arte é transfiguração

Quando em 1911 Thomas Mann começou a escrever A morte em Veneza e trocou a arte do personagem de compositor para escritor, estava escondendo a comoção que padeceu com a morte recente de Gustav Mahler. O personagem virou escritor, mas manteve o prenome. A história mescla elementos autobiográficos e biográficos com um elemento que perturbava a sociedade da época: o homossexualismo, o sentimento de culpa – heranças freudianas. O cenário: Veneza! A Veneza luminosa, sagrada, Meca da Europa que acolhia todas as nacionalidades. Nas mãos de Luchino Visconti, Gustav – Dirk Bogarde, impecável – volta a ser compositor, o homossexualismo se realiza como paixão, mas a Pandemia de Cólera (que já atingiu o Brasil 7 vezes!) bota tudo por terra. O Diretor italiano presta no filme a maior das homenagens a um item do vestuário indispensável à época: o chapéu. O Festival de Chapéus prevalece em beleza…

Ver o post original 1.836 mais palavras

O canto do mar (S-J. Perse)

Destacado

Leia meu artigo quinzenal em Recorte Lírico.

O que pode revelar uma caminhada matinal à beira-mar? É a pergunta que me faço, caminhando todas as manhãs, nesses dias em meu refúgio na Bahia, onde nos fixamos, minha mulher e eu, para cumprir o isolamento forçado, emoldurado pela paisagem marinha desta bela região do país.

Sem os atrativos tradicionais das típicas temporadas na praia, sem o ruído das aglomerações naturais das épocas de veraneio, o pensamento vagueia por imensidões distantes, em busca da compreensão das últimas coisas e dos segredos escondidos pelo mar.

O que busca o viajante? Entenderia a solidão impositiva da hora presente, o cumprimento de diretivas do Destino que assinala seus arranjos sazonais e anuncia alterações cíclicas profundas? São questões que o deambular pela praia traz ao viajante em busca da Sibila que o faça decifrar as profecias.

Esta caminhada à beira-mar fez evocar no cronista sentimentos antigos, antecipando presságios futuros, enquanto a Poesia vem insuflar o germe da imaginação criadora para entender os sinais do tempo presente. Afinal, como dizia Alberto Manguel, “todo leitor é um andarilho em descanso ou um viajante de retorno”.

CONTINUE LENDO no site da Recorte Lírico.

Poetas em tempo de penúria [Érico Nogueira]

Meu artigo quinzenal na revista Recorte Lírico. https://recortelirico.com.br/2020/07/poetas-tempo-penuria-erico-nogueira/

Sobre Hölderlin

Aviso:
aos diletos amigos leitores deste blog.
Pouco a pouco, vou migrando para lá… https://betoqueiroz.com.br/artigos/f/o-sil%C3%AAncio-do-poeta—f-h%C3%B6lderlin-1