A gênese de um livro (V)

Poema de hoje, 04 de março de 2017. Este poema (ainda em rascunho) nasceu da releitura de Daniel, 4, sob a inspiração de Robert Graves. Creio que posso chamá-lo de "meu Nabucodonosor", mas preferi intitular de "A Queda (I)" - intuindo que outras versões virão e continuações, pois o mito é tremendo. Clique na figura ao … Continuar lendo A gênese de um livro (V)

A gênese de um livro (IV)

A taça dourada* O sol não brota; ele se mostra com tudo o que a noite esconde. Sol em minha janela e sua fronde de pinheirinho molhado; amostra de desejo e fonte de toda paz; do que tenho merece graças dar o que não tenho aragem sagaz da chuva que cai a nos molhar. A … Continuar lendo A gênese de um livro (IV)

A gênese de um livro (III)

Canções americanas (2) Ah! azevinheiro em minha janela mas meu coração não está mais lá; estreita era a cama - nós dois nela, mas meu amor está amarrado lá. Mas meu amor está amarrado lá onde a grama está sempre verde o silêncio permite ao nightingale cantar sem que o deserdem. Cantar sem que o … Continuar lendo A gênese de um livro (III)

Poesia e profecia

Poesia e profecia, draft de poemas do novo livro de Adalberto de Queiroz.

A gênese de um livro (I)

Esqueça o Poema (1) https://sway.com/s/QUlK1rDWHPWSuzM2/embed

Poemas de esperança (V)

Se toda lua é atroz; se todo sol, amargo o que seria de ti, oh triste caminhante desse destino com o peso do desencargo trazido às costas? sulcas o solo e avante

Poemas de esperança (memorial)

Goyaz (1) No outono da vida o sol do cerrado seca as mesmas sementes — sol a pino: sementes de abóbora comidas assadas coisas de antanho com igual desatino. Cajá-manga devorado com sal, à sexta hora o gosto arcaico na boca desata sonhar — feito pamonhas ao leite ou torta de amora vem só o … Continuar lendo Poemas de esperança (memorial)