Catolicismo

A Bocage


Bravo! Nelsinho, Nelson L Castro, que da terra de Camões nos descobre DU BOCAGE, onde “São sete as figuras femininas que representam as musas de Bocage, personificando a Inspiração, a Dor, a Ironia, a Boemia, o Lirismo, a Revolta e o Erotismo, que guiaram o poeta ao longo de toda a sua obra. Muito embora haja a tendência de procurar no Erotismo a identidade de Bocage, sua obra é muitíssimo mais que a poesia burlesca e satírica que tantos tanto apreciam…”. Vale reler, vale reblogar post.

Mukandas do Nelsinho

Casa BocageCasa Bocage 13Casa Bocage 14Casa Bocage 10

Julgava conhecer “muito bem” Bocage pelo anedotário que lhe atribuíam e que circulava livre e solto pelos bancos escolares da minha infância e juventude. Manuel Maria Barbosa Du Bocage – o verdadeiro, eu conheci muito mais tarde, quando finalmente comecei a apreciar sua obra, algumas vezes vasculhada entre os tantos volumes existentes no surpreendente e belíssimo Real Gabinete Português de Leitura no Rio de Janeiro!

Na abertura do ano das comemorações de um quarto de milênio do seu nascimento, estive presente em alguns eventos aqui em Setúbal e na casa onde nasceu. Trata-se de um pequeno sobrado de espaços exíguos, em cujo piso térreo se encontram expostos alguns dos seus poemas, gravuras alusivas, o esboço do grande quadro original de Fernando dos Santos, de 1929, intitulado “Bocage e as Musas”, atualmente no acervo do Museu do Convento de Jesus, além de utensílios, livros e de uma recriação do local…

Ver o post original 177 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s