Filosofia

“Anamnese” de Eric Voegelin, em português


A Editora É Realizações lançou, recentemente, a edição brasileira de Anamnese”, de Eric Voegelin, tradução de Elpídio Mário Dantas Fonseca.

Esta é a versão completa de Anamnese, captando a integridade total da visão de Voegelin e se constitui em obra central dentro da sua odisseia intelectual, revelando um autor que olha para trás e inventaria seu crescimento, em vez de avançar rapidamente, como se costuma fazer, em novas regiões e novos problemas filosóficos, ressalta o editor na orelha do novo volume.
E sublinha: “esta obra crítica é tanto uma recordação do próprio desenvolvimento” do filósofo, “remontando até suas memórias de infância, quanto uma demonstração do método anamnésico aplicado a uma ampla variedade de materiais relembrados“, arremata.

Da Teoria da História e da Política
Da Teoria da História e da Política

Como tive a honra de travar conhecimento (embora virtualmente) com o Elpídio, tradutor de Voegelin no Brasil, tive a petulância de propor a ele uma pequena entrevista; que foi bem aceita e respondida rapidamente por email. Mesmo em meio a afazeres diversos e viagens, o tradutor respondeu as perguntas deste blogueiro e ressaltou: “fiquei muito feliz de saber que o seu site é um dos poucos que divulga as obras de Voegelin, portanto, nada mais natural do que informá-lo dos lançamentos”.

Como Voegelin chega em sua carreira de tradutor?
Elpídio: Voegelin chegou a meu conhecimento através do seminário de filosofia de Olavo de Carvalho, que foi quem me despertou a atenção para tal autor. Lembro-me que da primeira vez que li Hitler e os Alemães, fiquei impressionado com a chave que Voegelin descobriu segundo a qual a queda intelectual de uma sociedade em pouco tempo leva ao poder pessoas que, de outro modo, seriam alvo de ridículo. Não pude, à época, deixar de ver que o Brasil enfrentava a mesma situação da Alemanha, elegendo um medíocre para a Presidência, e não é com pena me nor que vejo a situação atual dos EUA com Obama.

Quais as causas da ausência da obra de EV das boas bibliotecas universitárias no Brasil (o leitor interessando encontra, quando muito, “A nova ciência da Política”)?

Elpídio: Creio que a ausência de Voegelin das bibliotecas universitárias se dá porque ele é um inimigo figadal de toda ideologia, segunda realidade em que há anos vegetam as universidades, de maneira geral.
Você convive(u) com as instituições americanas (Hoover Institute e a Universidade da Luisiana, p.ex.) que defendem e resguardam o acervo voegeliano?

Elpídio: Não, meu contato com Voegelin se deu através das aulas de OC, e li os quatro primeiros volumes dos Collected Works, mais Hitler e os Alemães, Reflexões autobiográfias e os ensaios reunidos de 1965 a 1985. Li, sobre ele, A revolução Voegeliniana, de Ellis Sandoz, e acabei de ler, de Michael Federici, Eric Voegelin, The Restauration of Order.

Quais os maiores desafios de tradução de Voegelin que você enfrentou?
Elpídio: O maior desafio na tradução de Voegelin é lidar com os termos que ele inventou, e encontrar um correpondente em português.

Ao que saiba, p.ex., este volume que está sendo lançado em português foi originalmente escrito em alemão. Você trabalhou sobre a versão americana ou o original?

Elpídio: Sim, Anamnese foi escrita em alemão e traduzida em parte para o inglês. Se não me engano (não estou aqui com os dados) foi traduzida na íntegra para esta edição das Obras reunidas, da Universidade de Missouri, da qual traduzi.

Há algumas questões pertinentes à tradução e ao seu interesse pessoal na obra de Voegelin que me interessam (e acho que interessa a mais gente). Quando (em Hitler e os Alemães, p.ex., p.70) é dito “responsabilizamo-nos integralmente por quaisquer erros de tradução…etc.” você(s) se refere(m) a que dificuldades?

Elpídio: No passo que você citou, traduzi o que estava na edição americana. Estudei muito alemão há mais de 15 anos e pretendo, neste ano, retomar os estudos.

Fale-nos sobre a atualidade de Voegelin. Por que ler Voegelin?

Elpídio: Voegelin nunca esteve tão atual num mundo que se esqueceu dos valores do Ocidente, os quais, no entanto, estão sempre abertos como possibilidade para nós. Ler Voegelin é esforçar-se por andar na primeira realidade, sob Deus, um expectador onisciente a quem não podemos enganar. Ler Voegelin é abrir-se para a realidade.

+++
*
Ficha do Livro:
Voegelin, Eric. 1901-1985
Anamnese: da teoria da história e da política / Eric Voegelin ;
introdução David Walsh ; tradução Elpídio Mário Dantas Fonseca. – S.Paulo : É Realizações, 2009. – (Coleção Filosofia Atual).
ISBN 978-85-88062-67-2
1.História  – Filosofia 2. Política – Filosofia I.Walsh, David.
II. Título. III. Série.
09-01019                                                                                    CDD-901

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s