Crônica do deserto particular

Um poema de Alberto da Cunha Melo

Poema nenhum, nunca mais,
será um acontecimento:
escrevemos cada vez mais
para um mundo cada vez menos,

para esse público dos ermos
composto apenas de nós mesmos
uns joões batistas a pregar
para as dobras de suas túnicas

seu deserto particular,
ou cães latindo, noite e dia,
dentro de uma casa vazia.

Foi o que deflagrou pensar naqueles períodos conhecidos como de deserto espiritual (ou deserto de criatividade). Daí o mote para a “Crônica do deserto particular”.
Clique na figura para lê-la.
Destarte 23 MAIO 2018.PNG

Photo101-Day 7: Landmark

Um mosteiro em Ávila, terra de Santa Teresa
Um dia, em Ávila, na déc. de 80 do século passado

Segundo o WordReference, Landmark. noun

1. a prominent or conspicuous object on land that serves as a guide,especially to ships at sea or to travelers on a road; a distinguishing landscape feature marking a site or location:

2. something used to mark the boundary of land.

3. a building or other place that is of outstanding historical, aesthetic, orcultural importance, often declared as such and given a special status(landmark designation) ordaining its preservation, by someauthorizing organization.

(…)

DITO ISSO, vejamos em meu histórico de fotos, o que tenho pra mostrar. Como sempre, não é nada comparável a dos fotógrafos experientes de Photo101, alguns deles já premiados várias vezes, mas “tudo vale a pena, quando a alma não é pequena” – como afirma o poeta Fernando Pessoa..

Não consegui ‘scannear‘ grande coisa por ora… sorry.

(Quem sabe ainda esta semana, volto com mais imagens sobre o tema!)

São os compromissos que assumi com o lançamento de meu livro, a foto está postada acima…

Esta foto foi tirada com minha velha (e saudosa) Pentax-K1000 (que me deixou tão boas memórias) – em 1984, com filme tradicional (naturalmente), a fotinha agora ‘scanneada’ está com marcas da idade (veja uma manchinha vermelha – provavelmente, uma gota de vinho, porque adoro rever velhas fotos e lembrar-me dos lugares por onde passei…).

São João da Cruz, mestre, poeta e místico (1542-1591)

Stanzas que tocam o coração e a alma do poeta.

S.João da Cruz, patrono dos poetas.
Porque “além da Noite Escura”, a “Esperanza del cielo
tanto espera quanto alcanza…”

 

 

 

 

 

 

 

 

6.IV

(…)

“Por una extraña manera

mil vuelos pasé de un vuelo

porque esperanza del cielo

tanto alcanza cuanto espera

esperé solo este lance

y en esperar no fui falto

pues fui tan alto tan alto,

que le di a la caza alcance.”

*****

“6.IV

“In a wonderful way

my one flight surpassed

a thousand,

for the hope of heaven

attains as much as it hopes for;

this seeking is my only hope,

and in hoping, I made no mistake,

because I flew so high, so high,

that I took the prey.”

+++++ 

//ws-na.amazon-adsystem.com/widgets/q?ServiceVersion=20070822&OneJS=1&Operation=GetAdHtml&MarketPlace=US&source=ss&ref=ss_til&ad_type=product_link&tracking_id=httptrabalhar-20&marketplace=amazon&region=US&placement=0935216146&asins=0935216146&linkId=IHXWJQDBXYRXYKKY&show_border=true&link_opens_in_new_window=true

(c) S. João da Cruz, Complete Works, trad. de Kieran Kavanaugh & Otilio Rodriguez.