Diálogos espirituais

“…o ato da inteligência, do mesmo modo que o ato da fé, não termina nas fórmulas mas nas coisas – non terminatur ad enuntiabile sed ad rem”.
Ao desvendar-se, o universo desvenda o espírito a si mesmo: intencionalmente, o espírito é não apenas um universo mas o universo e todos os universos que são os outros espíritos, pois que a substância intelectual, a pessoa, é, de algum modo, todas as coisas pela sua inteligência…

(Manuel Barbosa da Costa Freitas, São Tomás de Aquino, Ed.Verbo, Lisboa, 1992). Em Lusosofia

Que dialoga com isso aqui.

Santo Tomás de Aquino

Viva São Tomás! Que outros dizem Santo Tomás.
E pra comemorar a data, ao fim do dia, uma citação de G.K. Chesterton, frase do Santo que depois de uma vida de genialidade sem paralelo, se viu tomado por uma visão do Desconhecido e disse:

Eu já não posso escrever. Vi coisas que tornam meus escritos inúteisSão Tomás

Dia seguinte, penso em São Tomás e em sua frase diante da Eucaristia (“eu Te recebo suprema Dádiva”), sem achar nenhuma referência na web.
Volto ao meu volume do César Miranda São Tomás e acho o texto admirável de S. Tomás a seu auxiliar e irmão, Reginaldo, sobre a rubrica “Deus é Simples”, porque “a primeira causa motora é necessariamente simples”… ” a primeira causa motora” não pode ser composta”…o fogo, o sol – exemplos similares do que é simples… Deus, totalmente simples!

E eu, na minha estupidez, achando que Tomás pode ser composto. Um homem simples, o `boi mudo´, “o homem mais magnânimo, aquele que é grande e sabe que é pequeno”.  Chesterton diz de Tomás: Ele queria ser frade, não seria abade, não seria monge, apenas frade. Sem destaque ou importância.

S. Tomás nunca deixou que nada abalasse a férrea imobilidade dessa sua decisão da juventude; nem conseguiram fazê-lo desistir de sua grande e crescente ambição de assumir o lugar menos importante“.


Oração para os Estudos (São Tomás de Aquino)

Infalível Criador, que dos tesouros da Vossa sabedoria, tirastes as hierarquias dos Anjos colocando-as com ordem admirável no céu; distribuístes o universo com encantável harmonia. Vós, que sois a verdadeira fonte da luz e o princípio supremo da sabedoria, difundi sobre as trevas da minha mente o raio do esplendor, removendo as duplas trevas nas quais nasci: o pecado e a ignorância.

Vós, que tornaste fecunda a língua das crianças, tornai erudita a minha língua e espalhai sobre meus lábios a vossa bênção. Concede-me a acuracidade para entender, a capacidade de reter, a sutileza de relevar, a facilidade de aprender, a graça abundante de falar e de escrever. Ensina-me a começar, rege-me a continuar e perseverar até o término. Vós que sois verdadeiro Deus e verdadeiro homem, que vive e reina pelos séculos dos séculos. Amém.

Autor: São Tomás de Aquino