A gênese de um livro (II)

Os decapitados* (c)Adalberto de Queiroz Eles vêm ao acaso de todos os cantos do mundo – serão os algozes Atenderam o chamado, às dezenas, depois às centenas; ao fim, milhares Tantos assim que por último não havia onde as cabeças depositar-lhes. Os homens que ali sacrifícios realizam, do deserto eram flores ferozes. As nossas armas … Continuar lendo A gênese de um livro (II)

Um “serpentário de erros”

JORGE DE LIMA em seu testamento poético criou uma longa "biografia épica" e recriou-se como poeta, na pele de um insular da poesia de nosso hemisfério Canto I, 1 Um barão assinalado sem brasão, sem gume e fama cumpre apenas o seu fado: amar, louvar sua dama, dia e  noite navegar, que é de aquém … Continuar lendo Um “serpentário de erros”