“No presépio”, de Adélia Prado. Um poema em prosa

Adélia Prado: "No Presépio", um poema em prosa contra a "tristeza e seus requintes"
Adélia Prado, “Filandras”, Edit. Record, Rio de Janeiro, 2011.
Clique na imagem para ver em melhor definição.
Se preferir, leia o texto ao lado.

NO PRESÉPIO*

Por Adélia Prado, poetisa e cronista mineira.

Minha alma debate-se, tentada à tristeza e seus requintes. Meu pai morto não vai repetir este ano: “Nada como um frango com arroz depois da missa”.
Minha irmã chora porque seu marido é amarradinho com dinheiro e ela queria muito comprar uns festões, uns presentinhos mais regalados, ô vida, e ele acha tudo bobagem e só quer saber de encher a geladeira com mortadela e cerveja.

Talvez, por isto, ou porque me achei velha demais no espelho da loja, sinto dificuldades em ajudar Corália. Queria muito chorar, deveras estou chorando, às vésperas do nascimento do Senhor, eu que estremeço recém-nascidos.

Estou achando o mundo triste, querendo pai e mãe, eu também. Corália disse: você é tão criativa! E sou mesmo, poderia inventar agora um sofrimento tão insuportável que murcharia tudo à minha volta. Mas não quero. E ainda que quisesse, por destino, não posso.
Este musgo entre as pedras não consente, é muito verde. E esta areia. São bonitos demais! À meia-noite o Menino vem, à meia-noite em ponto. Forro o cocho de palha. Ele vem, as coisas sabem, pois estão pulsando, os carneiros de gesso, a estrela de purpurina, a lagoa feita de espelhos.

Vou fazer as guirlandas para Corália enfeitar sua loja. A radiação da “luz que não fere os olhos” abre caminho entre escombros, avança imperceptível e os brutos, até os brutos, banhados. Desfoco um pouco o olhar e lá está o halo, a expectante claridade, em Corália, em Joana com seu marido e em mim, também em mim que escolho beber o vinho da alegria, porque deste lugar, onde “o leão come a palha com o boi“, esta certeza me toma: “um menino pequeno nos conduzirá”.

s pode ter
Presépio – (c) da foto do website abaixo: http://www.culturamix.com/cultura/religiao/presepio-natal

+++++
Fonte: PRADO, Adélia.
“Filandras”, Editora Record –
Rio de Janeiro, 2001, pág. 111.

Festa dos 3 Reis Magos

EIS UM DIA IMPORTANTE para a Cristandade, quando se vê que os desígnios celestes se cumprem mesmo quando um imperador – como Herodes –, tenta se opor à vontade de Deus.
Hoje, 08.01.2012, fui à missa na Paróquia Saint Sylvestre, Navarre (FL), na missa da comunidade hispânica. Father John Kelly usou a Homília para mostrar com o exemplo de uma pessoa da comunidade hispânica como era o dia de Reis em Porto Rico. Dia de esperar os Reis Magos, foi o depoimento de Ms. Lilian, onde se colocava a grama para os camelos dos reis Magos e onde se imaginava que as crianças receberiam presentes, como o pequeno menino-Deus recebeu (ouro, incenso e mirra). A homília foi sucinta para dizer que, assim como as pessoas recebiam bem com afeto, comida, música e bebidas e com rezas; assim devemos continuar recebendo a todos os irmãos em nossa comunidade e imitar o espírito dos Reis Magos que adoraram o Menino Jesus.
Sucinta e boa homília neste Dia de Reis. As canções durante a Missa também me agradaram.
Confesso gostar muito da comunidade hispânica em Saint Sylvestre Navarre (FL).

Altar Saint Sylvestre

Há na história do Catolicismo uma tradição clásica que nos remete aos pintores como Seghers, circa 1630 que pinta este quadro fantástico: image

“Adoração dos reis magos ao menino Jesus” (Seghers).

Depois disso, há que pensar sobre a apropriação dos rituais pelos fiéis católicos que criaram, no Brasil pelo menos ao que eu saiba, uma tradição pagã de celebrar o Dia de Reis, diferente da cultura dos católicos de Porto Rico e outros, mas apropriada e admirável também – a Folia de Reis, um jeito próprio e bem ao estilo luso-brasileiro de celebrar esta festa dos 3 Reis Magos.

Então, procurando exemplos dessa tradição pagã/leiga (católica, não atéia e liberal esquerdista de designar o que é ‘leigo’ – pra mim ainda a melhor definição é o que está em torno da igreja sem ser ‘vida dedicada’ e ponto).

Then, eis a melhor a definíção que acho apropriada, embora não seja do meu estado (Goyaz) e sim das Minas Gerais – doesn’t mather! Enjoy this good record of popular music from Brazil, como um exemplo de Fé e dedicação, imagepara manter a tradição da Folia de “Santo Reis”. 

http://bit.ly/yGhDfE

No link a seguir, você pode encontrar outras amostras de música da Folia de Santos Reis