No mínimo…#28

o espaço* *Adalberto de Queiroz,  Cadernos de Sizenando, vol. II, 2016.

Garimpando em Notegraphy (IV)

ENTRE PALAVRAS cavando o mineral do verso claro e nas correntes da história de funda bateia armado - nas minas, à meia distância entre a pepita e o veio comum da fala entre palavras, Sizenando.

Poemeu em Notegraphy

ÉS SONHOS, poema de Cadernos de Sizenando, vol. I.