Notas esparsas

Um artigo, quando bem lido - o que pressupõe, às vezes, ser relido, pode dar ao leitor muitos insights, propor novas visões e ampliar-lhe os horizontes para novas leituras e o conhecimento de novos autores. Se o ensaio pressupõe uma tentativa, um misto linguístico de poesia e raciocínio, de liberdade temática, em Fabrício Tavares Moraes … Continuar lendo Notas esparsas

O casal Maritain nos “Cadernos de Sizenando (2)”

Anotações de leituras. Em 2006, passei boa parte do ano lendo o casal Raïssa e Jacques Maritain. As notas de leitura são ilegíveis, mas têm para mim um significado muito especial. Agora mesmo, trabalhando num novo livro de poemas, retomei temas que nasceram lá em 2006, com o casal Maritain, como a extensão deste verso … Continuar lendo O casal Maritain nos “Cadernos de Sizenando (2)”

Ao nosso amor, poema em destaque

Fiquei muito feliz com este destaque dado pelo site do Instituto Cultural Sicoob ao meu poema (Ao nosso amor). Para ler o poema, clique na figura abaixo.

Destino palavra (poesia falada)

Clique no link abaixo para ouvir o poema falado. https://soundcloud.com/adalbertoqueiroz/cancoes-mexicanas-4

Destino palavra

O que estão dizendo sobre Destino palavra: No posfácio de Destino Palavra: “CONTRITO NA SUA LITANIA POÉTICA, Adalberto de Queiroz refaz o caminho ancestral (desde Cádiz à Vila Jaiara, em Anápolis), e traça sua ontologia, quando, ubiquamente, se coloca no tempo: o do presente e o da memória, no diálogo com a Tradição Poética. Assim, … Continuar lendo Destino palavra

O espaço

O Espaço *********Adalberto de Queiroz Porque a poesia nos coloca em estado-de-emergência – como dizia o Gaston, Eu vos digo: eis-me aqui, acólito do ritual canônico do verbo criando stanzas velhas - atónito (!) com o poder etéreo, soberbo. Sem impertinências, nem pedras pelo caminho, - pedras estão diante dos olhos! as pedras clamarão, agora clamam. … Continuar lendo O espaço

Queres ler o quê (VII)

Mais um Poema falado no SoundCloud. Fonte: "Destino palavra", edição do Autor, 2016, p.51/2. Queres ler o quê? Do poeta Jorge de Lima um poema- pergunta me assalta; e me lança a poço tão fundo, de tardia Samaria isolada: - Queres ler o que tão só se entrelê e o resto em ti está? Flor … Continuar lendo Queres ler o quê (VII)