As lições do muro

Ângela Merkel, 1a.Ministra alemã e o que sobrou do muro. (c) Foto: Hannibal Hanschke/Reuters)
Chanceler Angela Merkel caminha ao lado de pedaço do antigo Muro de Berlim, em cerimônia que celebra neste domingo (9) a queda da barreira – há 25 anos (c)Foto: Hannibal Hanschke/Reuters), via G1.globo.com

PASSADO 1/4 de século e o cenário político muda de forma sensível. Não notamos, por vezes, com a pletora de informações em que se transformou o convívio com a internet.

Mas em Kibeho (Ruanda) ou em Tupaciguara, em Kilimajaro ou em Santo Domingo (NM, US) e alhures no Brasil afora, o tempo escorre como areia numa ampulheta e muitos eventos podem ser considerado “sinais dos tempos”.

Essa senhora que caminha ao lado do que restou como uma “amostra” do Muro tão odioso (e indesejável), derrubado há 25 anos, é parte da História da Alemanha e da humanidade e pode dar-nos exemplos da lição vivida aos que desejam construir muros aqui…

Um sujeito como o ativista ilegal J.P.S. (amigo do ministro venezuelano da baderna!) deveria se instruir com as lições da História e dar um basta a sua iniciativa odiável de impor ao povo brasileiro o que já sabemos que não dá certo.

Os brasileiros não queremos nos transformar em um povo dividido, partido ao meio por um muro que as ideologias estranhas à nossa cultura parecem desejar.

Que a Paz possa reinar no Brasil e em todos os países abaixo do Equador – é o que desejo, meus irmãos de Fé; e caminhantes desta jornada chamada vida humana.

Como se sabe, e O Estado de São Paulo pontua bem hoje: “O Muro de Berlim, construído pela Alemanha Oriental para separar a Berlim Ocidental, não comunista, da Berlim Oriental, começou a ser construído em 13 de agosto de 1961, passou por modificações até os anos 1980 e foi derrubado em NOV.1989…”
A chanceler alemã, Ângela Merkel, Física por formação, escolheu a política como carreira. Ela cresceu na ex-RDA e sua carreira política começou graças aos acontecimentos de há 25 anos.

Infográficos de O Estadão, dom. 9.NOV.14