Walter Benjamin

“Porcelanas da China”, de W. Benjamin – Trad. : Rubens Rodrigues Torres Filho.

“A força de uma estrada do campo é uma se alguém anda por ela, e outra se a sobrevoa de aeroplano. Assim é também a força de um texto, uma se alguém o lê, outra se o transcreve.

“Quem voa vê apenas o modo como a estrada se insinua através da paisagem, e, para ele, ela se desenrola segundo as mesmas leis que o terreno em torno. Somente quem anda pela estrada experimenta algo de seu domínio e de como, daquela mesma região que, para o que voa, é apenas uma planície desenrolada, ela faz sair, a seu comando, a cada uma de suas voltas, distâncias, belvederes, clareiras, perspectivas, assim como o chamado do comandante faz sair soldados de uma fila.

“Assim comanda unicamente o texto copiado a alma daquele que está ocupado com ele, enquanto o mero leitor nunca fica conhecendo perspectivas de seu interior,  tais como as abre o texto, essa estrada através da floresta virgem interior que sempre volta a adensar-se: porque o leitor obedece ao movimento de seu eu no livre reino aéreo do devaneio, enquanto o copiador o faz ser comandado. A arte chinesa de copiar livros foi, portanto, a incomparável garantia de cultura literária, e a cópia, uma chave para os enigmas da China[i]

[i] BENJAMIN, Walter. “Rua de Mão Única” – Obras escolhidas, vol. II. Tradução: Rubens Rodrigues Torres Filho. São Paulo, 3ª. ed., 1993, pág. 15/6.

Marina Colasanti é tema de estudos de pesquisadores goianos

Um livro e série de palestras em torno de Marina Colasanti

Marina Colasanti é uma contadora de histórias. Uma das melhores em atuação no Brasil e, com certeza, uma das mais estudadas atualmente no País. Porém, os livros que falam especificamente de seus trabalhos são poucos. Assim, um grupo de pesquisadores da Universidade Federal de Goiás (UFG) se uniu para analisar a obra da autora ítalo-brasileira.

Fabiana Valadão Macena, Isabel de Souza, Gisely Marques, Ludmila Santos, Marcos Nunes Carreiro e Meire Lisboa, sob a coordenação de Kelio Junior, estão lançando “Traços de Essencialidades: mulher, literatura e gênero em Marina Colasanti”. Os sete pesquisadores pertencem ao Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Letras e Linguística da UFG. O livro ainda conta com a participação da renomada pesquisadora e professora da UFG Vera Tietzmann.LivroMarcos0001Capa

Os artigos falam de um tema sempre presente nos livros de Marina e que tem recebido cada vez mais atenção na atualidade: o modo e o ser condicionados da mulher na sociedade. Como diz o professor da UFG Pedro Louzada, na orelha do livro:MarinaColasanti

“É no bojo de uma atitude contradiscursiva ao antifeminismo dos tempos, e representando um dos referenciais do presente, que o livro faz sobressair a obra da escritora Marina Colasanti como notável repositório de visitação obrigatória da presença da mulher e das suas vicissitudes que a autora enfoca e polemiza”.

Os pesquisadores estão fazendo uma série de palestras não só para divulgar o livro, mas também para incentivar a leitura e a pesquisa. Uma mesa redonda marca o pré-lançamento do livro e será realizada hoje, dia 4 de novembro, às 19h30, na Faculdade Sul-americana (Fasam).MarinaColasanti
O lançamento oficial será no dia 12 de novembro, no Instituto Federal de Goiás (IFG), unidade de Aparecida de Goiânia, às 14h30. Neste dia, a própria Marina Colasanti estará presente e fará uma palestra. Ela também estará na UFG, no dia 13 pela manhã. Em todos os dias a entrada é gratuita e os participantes encontrarão os livros à venda.

Marcos Carreiro é um competente e atencioso jornalista de Opção Cultural e como dizem os franceses hoje é dia de “arroser la rose”. Hoje é dia de dizer Bravo! ao editor-jornalista e pós-graduando Marcos Carreiro e a seus colegas pesquisadores, com destaque para o nome já consagrado de Vera Tietzmann.(Do release do livro e comentários meus)./.