Nelson Ascher tradutor de Emily Dickinson

Destacado

O Estado-da-Arte de “O Estado de São Paulo” publicou hoje alguns poemas de Emily Dickinson traduzidos por Nelson Ascher. Ascher já nos havia brindado com as traduções de poetas húngaros. É uma coisa sofisticada e quase impossível para 90.1% de … Continuar lendo

Emily Dickinson, P. Henriques Britto e o leitor

Um poema de Emily Dickinson e duas traduções de Paulo Henriques Britto (2) NO POST anterior, trouxemos o original do poema #185 (da coletânea de poemas de Emily Dickinson, por Johnson*) e duas traduções de Paulo Henriques Britto. Nosso desafio … Continuar lendo

Ainda (e sempre!) Emily Dickinson…

  Um poema de Emily Dickinson e duas traduções de Paulo Henriques Britto.   Original – poem 185* Trad. “A” Trad. “B” “Faith” is a fine invention Quando se pode enxergar A “Fé” é um ótimo invento When Gentlemen can … Continuar lendo

Eric Ponty traduz emily dickinson

There is another sky* There is another sky,Ever serene and fair,And there is another sunshine, Though it be darkness there;Never mind faded forests, Austin,Never mind silent fields – Here is a little forest,Whose leaf is ever green;Here is a brighter … Continuar lendo

Emily Dickinson, a natureza e suas cores…

Galeria

Emily Dickinson A Natureza raro usa o amarelo,Antes prefere outros tons;Reserva-o todo para o pôr-do-sol;Azul, gasta aos borbotões. Como a mulher abusa do carmim, Mas o amarelo – esta cor Com parcimônia a seleciona, – assim Como palavras de Amor. … Continuar lendo