Salve, ANTONIO TABUCCHI (II)

Caro Antonio,
Estou agora com 6 de seus livros sobre a escrivaninha.
É uma manhã ensolarada em Goiânia, a TV está ligada n’outro cômodo (e ouço o barulho dos carros de corrida, motores que roncam forte).
Confesso, amigo, que prefiro os pássaros em nosso jardim; minha mulher divide a biblioteca comigo, rompendo o silêncio, de quando em quando, para comentar sobre les faits divers.

Quanto te conheci, não foi por referência de nenhum resenhista ou por artigo de jornal ou revista. Estava de férias num hotel numa estação de águas, quando te descobri na biblioteca. Queria te dizer também que a biblioteca leva o nome de um dos mais importantes escritores de nossa terra – que não é Goa, mas Goiás. Bernardo Elis é o nome. Bernardo, como você, também esculpiu na língua de Pessoa com maestria.

Você se esconde mais do que ele (note que já desisti do tu, para essa missiva) – e o efeito é que me sinto mais próximo assim.

Pensei um dia desses sobre uma frase do Noturno, aquele insone que talvez tu fostes em vida: “tudo pode acontecer na vida, até mesmo dormir no hotel Zuari”.
A India me “entusiasma” e sei que as lembranças de viagem serão sempre o que tu dissestes no Noturno Indiano:

“(…) na lembrança, como sempre nas lembranças … a realidade é sempre sempre menos má do que foi efetivamente”.

E sei disso porque os índios de minha terra (Goyaz) me ensinaram que a memória é uma falsária encantadora e tu dissestes: “a memória é uma formidável falsária”. Eu sei que o que lembramos é cheio da “sujeira” e da “beleza” de tudo que a “falsária” nos indica, indicou ou indicará.
Eu, dormindo num hotel de uma estação de águas quentes, onde te conheci. Eu admiro sua escrita, caro amigo, não importa onde estejas (espero que num lugar onde te reencontre!). Não é fácil pensar que a memória e a auto-biografia poderia ser d’Outro.

Antonio, é tão bom ler você na língua de Dante, como posso fazer agora, que achei resenhas de seus livros no site: Rai Libro

Caro amigo, seu diálogo com o Pai, não importando como se deu, se dá, é emocionante!(Star )
As coisas de biografias me remetem a outros livros seus que devo ler depois. Por ora, tenho estes livros e estou me divertindo muito com tudo (de vez em quando me “inculcando”, me preocupando, pensando em demasia), mas não se preocupe (eu sei que este é o papel da Literatura. Sei também que você (tu!?) não veio ao Brasil por uma causa justa. Sei também, Antonio, que você amou minha terra de origem: Portugal. Por tudo isso, e principalmente por sua literatura e sua vida, me considero seu Amigo.

Abraços do Beto.
+++++
Fontes:
imageTABUCCHI, Antonio. “Noturno Indiano”. Cosac Naify, 2012. Trad. Wander M. Miranda. (Star )Il silenzio, trecho do livro “Autobiografie Altrui”, Feltrinelli, 2003, p.18/21. Clique para aumentar e ler (no original italiano):
imageimage

A cura com as plantas do cerrado

Livro das Plantas do Cerrado

Capa do livro “Cordel de Plantas Medicinais do Cerrado”, de Evandra Rocha e Antonio Alencar, Ed. Asa/Kelps, Goiânia, 2012.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Viagens (I)

Um dos meus destinos prediletos é a Provence.
Para quem deseja visitar pela primeira vez ou pela enésima, como é o meu caso, este é um site que ajuda muito a preparar a viagem:

Explore também: Guide de Provence-Alpes-Côte d’Azur E bon voyage en France!

Antes do Papa Francisco: Bento XVI

“É preciso muita coragem e bravura para tomar uma decisão dessa magnitude…”

Relendo a frase de Ratzinger: “
”…EXAMINANDO minha consciência perante Deus”… Eis como Bento XVI chegou à conclusão de que era hora da sua aposentadoria.
A essência do que ele disse é o que pode nos levar a decidir com razão e emoção sobre nossas vidas.Raio no Vaticano 2

I´m a Portuguese Writer

I think I am not a writer, but a Reader.

Actually I choose to be an enterpreneur, living and working in Goiânia, the best city in the center of my country Brazil, near the federal capital: Brasilia.

My personal history with the art of writing starts in my childhood, when at age of 6, my grandmother show me the importance of to read.
With my `vovó´ (that means grandma in Portuguese), I´ve learned the beautiful art to get the letters put togheter by other person and understand that “b+a=bá”. That´s because we used to say that with grandmothers we learnt the “be-a-bá” (I mean the first understand of the reading). It was the pre-Montessori methods of today´s schools. For me, since then writing it is the art of reading.

When I war 7 years old I went to an institution to orphans that give me material and spiritual conditions to live, having access to school and have food. At age of 17, I could enter in a Federal University at Goiás, in the 3rd. place of Physics graduation. In the time expended at the city of Anápolis, in my childhood, my experience as writer was very interesting, because I wrote several letters from the other children adressed to their godfathers in USA, in Portuguese for sure, which ones were translated for someone else in a place between Brazil and US.

When I was 19 years old I started to write a lot as a registrar in the Brazilian Federal Police. It was a tough job, that I used to compensate with an acquisition of very good books, reading of all subjects. Few months after, I could change the situation starting a differente path to my unfinished way to learn how to get money with writing. I started to work for a Brazilian Saving Bank as advisor of communication. It was a very good experience that I´ve never forget. The books continue with me, at that time prefered in French (my first foreign language that I´ve learned).

In the last ten years, due to family issues and my job in the IT industry, I am trying to learn the English language. That is the reason I´m very proud to be here in this course, not as writer but a very enthusiastic reader. The dream comes true with Coursera that provide this for me at age of 58, for free – and I hope – for fun too. Now I have my blog (http://betoqueiroz.com/) the place that I express myself as a a Brazilian Writer.