A glória de Deus (I)

The glory of God is the human person fully alive”
A citação em inglês lida alhures num livro de John O´Donohue é a legenda desta manhã de sábado plena de sol, em que a centelha divina se expõe de forma silenciosa, somente com a retórica do vento sob a superfície do lago (como a Sabedoria sempre se expressou).
O sonho lembrado entre o cuscuz e café-com-leite da manhã, os pássaros, as nuvens, notas de Chopin que parecem ressaltar o cheiro da grama recentemente cortada no lote vizinho, o verde intenso desta manhã de abril, em que a natureza parece nos contar segredos.
Tudo faz-me lembrar o texto de John O´Donohue, lido em contexto diverso:
”We are so privileged to still have time. We have but one life, and it is a shame to limit it by fear and false barriers.”
Assim, a calma economia de demonstrações da presença divina me faz enxergar a beleza, a unidade e a criatividade possíveis (devido ao autor de Anam Cara) de ser recuperadas mesmo no meio do turbilhão das dúvidas, das sombras e do claro-escuro da vida que parece nebulosa em tantos momentos. Sentir-se e Ser na essência, abrindo os olhos para o ritmo interior e a riqueza da vida em família, atento às coisas mais simples, às pequenas alegrias, eis a fórmula recuperada.
Esta manhã de sol testemunha a glória de Deus.
E Santo Irineu salta da estante para lembrar a legenda de O´Donohue:
”Deus se torna visível por meio de muitas economias, para que o homem privado totalmente de Deus não deixe de existir. A Glória de Deus é o homem que vive (inteiramente) e a vida do homem consiste na visão de Deus. Se a manifestação de Deus por meio da criação dá a vida a todos os seres que vivem na terra, com maior razão a manifestação do Pai pelo Verbo dá a vida aos que vêem a Deus.”
+++++
Fonte: O´Donohue, John. “Anam Cara: A Book of Celtic Wisdom”, Harper-Perennial, 1997, p.124; Santo Irineu de Lyon. “Contra as Heresias”, Ed.Paulus, 2a.ed., 1995, liv.IV-20, p.433.

Semana Santa 2011

Passando a semana Santa em BSB, me volto pra internet, d’onde nos chegam as penitências e vivências católicas que tanto me humilham com minha absoluta falta de penitência ao celebrar esta Semana Santa (não explica, mas justifica que tenhamos passado por um período de penitência no antes e durante parte da Quaresma!).
Queria (se pudesse) estar com essa cruz às costas, mas, sabendo-me incapaz,  continuo a apreciar muito a artemanifestação de Fé de nossa gente Católica.
HOJE, 22.04.11, me deparo com esse texto sobre o significado da Páscoa, no blog do poeta e pensador cristão Armindo Trevisan, cujo blog tem outras pérolas.
Vale a pena ler este também: um maravilhoso texto sobre o Batismo cristão.

110420semanasanta_f_028

110420semanasanta_t_016 110420semanasanta_t_020 110420semanasanta_t_029  110420semanasanta_t_023  110420semanasanta_t_027

O nome é gratidão

Meus caros amigos,

Longe do blog por razões pessoais, volto para dizer como fiquei feliz e grato pela nascimento de meu segundo neto: Benjamin Queiroz Foust é um guerreiro desde o ventre materno. Minha filha lutou por 9 semanas (com uma gravidez problemática) e, com os cuidados profissionais de uma grande equipe médica, pôde trazê-Lo ao mundo. Estou 99,999% certo de que nossas preces foram atendidas para termos os dois em seu lar, na comunidade de Naverre (FL), depois de muitas tribulações.

Agradeço aos amigos pelas orações e pelo encorajamento. Aos profissionais do Sacred Heart Hospital  (Pensacola, FL) pela dedicação e perseverança.

Mas principalmente agradecemos ao Divino Pai Eterno,  que nos deu forças para enfrentar os desafios e a enorme alegria de ver o pequeno Ben junto de sua família.

Fiquei por 5 semanas apoiando minha filha, meu genro e meu neto Lucas nas rotinas diárias. Queria eu ter mais paciência, mais juventude e mais disponibilidade para ficar com os Queiroz Foust por mais tempo.

De volta ao Brasil, continuei meu voto de silêncio no blog como uma penitência nesses tempos de Quaresma, haja vista que outros sacrifícios são mais difíceis para este cinquentão.

Hoje, acordei pensando em quanto devo a tantos amigos e irmãos pela solidária amizade e a Deus pela Graça de ter minha família reunida e em Paz, quando decidi por escrever de novo no blog.

Obrigado a todos que rezaram pela saúde da Maíra e do Ben. Estão eles em casa há um mês e poucos dias e este vovô aqui no Brasil, muito agradecido por tudo que Deus nos provê. Eu sei que a paciência e a calma de todos nós com situações difíceis é que nos fazem superá-las com mais tranquilidade. Aprendi agora que nada é tão necessário como o calma e o Amor para superar desafios impensados, inesperados. Deus nos ajude a ter paciência e calma. Deus nos faça nunca esquecer do Todo. Que possamos nunca nos esquecermos do Criador, nosso Pai Amado… O Divino Pai Eterno.

E essa cruz que trago ao pescoço de me lembrar há-de que nada é tão transitório (e tão nobre) como a Vida. Sua Defesa nas tarefas mais simples se impõem aos que amam o Eterno.

Obrigado Equipe do Sacred Heart Hospital. Obrigado, Pai Amado, pelo Ben e sua chegada ao seio de nossa Família: Helenir, Maíra, Cecília, Craig, Lucas e, agora, ao esperado Ben Q. Foust nossa certeza – Deus te escolheu para estar entre nós!